Fotografia – A abertura e o obturador (Velocidade do obturador)

Continuando a mensagem anterior, reparamos que existe um orifício na lente que pode ter diversos tamanhos, e que a esses tamanhos corresponde o valor de “abertura”. Mas se olharmos mais uma vez pela lente e tirarmos uma foto, reparamos que há algo que se mexe no momento em que tiramos a fotografia…

Ora se já sabemos que uma fotografia não é mais que a captação de luz pelo sensor nas máquinas digitais ou pelo negativo nas máquinas de rolo. Então tem que haver algo que impeça o sensor ou o negativo de receberem luz nos momentos em que não carregamos no botão da máquina fotográfica para tirar uma foto….. e existe, existe uma “cortina” (não estamos a falar de uma cortina de pano mas sim de um pedaço de plástico ou metal que tapa e impede que a luz chegue ao sensor ou ao negativo).

Essa “cortina” não muito perceptível nas máquinas DSLR/SLR por causa do espelho que fica à frente(mas isso é para outro artigo) o que é importante é que entenda para que serve essa cortina e qual a sua função.
 
Se a função é expor o sensor ou negativo por um determinado espaço de tempo, por quanto tempo exactamente? é um tempo fixo?

Não, o tempo de exposição não é sempre igual, depende de alguns factores como por exemplo a abertura que usamos e qual o efeito fotográfico desejado.

Como já tínhamos falado se a “abertura” for grande então capta mais luz, se for uma abertura pequena capta menos luz. É então que entra o factor de velocidade do obturador, para compensar a exposição de luz da “abertura”. Explicando isto por outras palavras… se a abertura for grande então para compensar a maior captação de luz o tempo de exposição diminui. Se a abertura for pequena o tempo de exposição é maior para capturar a imagem com a mesma tonalidade que a anterior.

O tempo em que sensor ou rolo fica exposto à luz é designado por velocidade de obturador ou tempo de exposição. Esse tempo de exposição no caso da maquina que possuo vai de 1/4000 a 30”.

O que quer dizer isso?

No 1º caso 1/4000 quer dizer que o sensor ou rolo vai estar exposto à luz por 1/4000 segundos, o que corresponde a 1 segundo a dividir por 4000 é uma velocidade muito rápida.

No 2º caso 30” corresponde a um tempo de exposição de 30 segundos.

Esta medida ou a escala usada nas máquinas fotográfica pode mudar devido à propria máquina ou à lente que estamos a usar. Mas a máquina tem sempre um máximo e mínimo.

Em quase todas as máquinas fotográficas temos a possibilidade de saber qual a abertura e tempo de exposição que estamos a usar via o LCD. Mais uma vez como exemplo a minha Canon 400D.

 

canon_400d_lcd

 

A velocidade do obturador nesta imagem situa-se junto aos valores da abertura no canto superior esquerdo. O valor da velocidade do obturador é de 1/4000, que equivale a 1 segundo a dividir por 4000. Isto é uma velocidade muito rápida, aliás nesta máquina é a velocidade mais rápida que consegue fazer.

Em quase todas se não todas as máquinas fotográficas a informação da abertura e tempo de exposição encontra-se lado a lado como podem ver no exemplo 1/4000 de exposição e f4.0 de abertura.

 

 

 

Mas serve só para compensar a “abertura”?

Basicamente sim, mas tem a possibilidade de ser usada para criar outro efeitos. Efeitos esses que demonstro nas imagens seguintes:

 

Estas 2 fotografias foram tiradas no Parque das Nações em Lisboa. Foram tiradas do mesmo sitio.

Parque das nações - Tempo de Exposição 1-50

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A fotografia em cima foi tirada com um tempo de exposição de 1/50 segundos, a abertura usada foi f22.

Parque das nações - Tempo de Exposição 1-500

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nesta fotografia usei uma exposição de 1/500 segundos e uma abertura de f6.3

 

Vamos agora analisar as duas imagens em cima para ver que conclusões podemos tirar.

  • Qual a diferença visual? 

Na 1ª fotografia a água parece estar a correr, tem um efeito de movimento. Na 2ª fotografia a água parece estar parada parece ficar estática e com mais detalhe.

  • Qual foi o tempo de exposição?

Na 1ª foto o sensor ou rolo ficou exposto por 1/50 segundos na segunda ficou exposto por 1/500 segundos. Ou seja a 1ª fotografia teve um tempo de exposição maior do que a segunda foto.

  • Qual foi a abertura?

Na 1ª foto foi usada uma abertura pequena, a mais pequena possível nesta circunstancia, na 2ª foi usada a maior abertura possível nestas circunstancias.

  • Que conclusões podemos tirar?
  • Descobrimos que além da abertura também é necessário ter em conta o tempo de exposição.
  • Descobrimos que com o tempo de exposição podemos criar efeitos.

Se usarmos um tempo de exposição grande numa imagem com olgo em movimento cria o efeito de “rasto/arrastamento” do objecto, tal como podemos confirmar na primeira fotografia. Isto serve para qualquer tipo de objecto em movimento.

Se usarmos um tempo de exposição pequeno numa imagem com objecto ou objectos em movimento esses objectos ficam estáticos. Esta característica é usada no modo automático de desporto.

Na próxima mensagem vou falar um pouco da junção entre os dois factores “abertura” e “tempo de exposição”. Esta é só para dar a conhecer um pouco sobre o tempo exposição.

Boas fotos….


28 Comments

Novo Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *