Fotografia Panorâmica – Parte 1

Mas afinal o que são panorâmicas???….

Panorâmicas são um conjunto de fotografias que criam uma só imagem… Quantos de nós já tentou captar por exemplo uma paisagens mas, a paisagem é tão grande que não conseguimos captar só com uma fotografia, pois perde detalhe.

E se tirarmos várias fotografia e juntarmos numa só? Seria algo como isto….

Panorâmica exemplo

 

 

 

=

Panorâmica de Fátima - Exemplo

 

Pois vou deixar aqui alguns conselhos para fotografias panorâmicas.

Conselhos porque o que vou dizer não são regras mas sim uma ajuda para obterem panorâmicas com maior facilidade e menos trabalho…

Julgo que é um assunto que se pode tornar um pouco grande por isso resolvi dividir esta mensagem por partes.

Em primeiro lugar vou deixar deixar aqui os pontos que vou falar e depois explicá-los um a um.

  • Cuidado com o as lentes de zoom, conhecer bem a nossa lente.

  • Escolhermos a fotografia “horizontal” ou “vertical”

    “… se tiramos a fotografia com a máquina na horizontal chega para captar tudo com nitidez? …”

  • Desligar a focagem automática.

    “… se vamos tirar várias fotografias e se usarmos o foco automático cada fotografia pode ficar com um foco diferente …”

  • Analisar a “cena” para verificar se necessitamos de um grande campo de profundidade.

    “… o mesmo acontece com a abertura,temos que verificar que abertura queremos para ficar tudo o que queremos bem nítido …”

  • Analisarmos a cena de modo a escolhermos a abertura e tempo de exposição para a panorâmica.

    “… este ponto e o anterior quase que se podem considerar um só, porque a ‘responsabilidade’ neste caso é sempre da abertura da lente.

  • ** Escolhermos um sinal para separação de panorâmicas.** (Opcional)

    “… se tirarmos mais do que uma panorâmica a pontos quase iguais, era bom que soubéssemos qual a foto de início e de fim de cada panorâmica, para não misturarmos fotografias …”

 

Cuidado com as lentes de zoom, conhecer bem a nossa lente.

Grande parte de nós usa uma lente de zoom onde podemos enquadrar e aumentar os objetos a grande distancia sem nos deslocarmos.

Nas lentes de zoom há que ter a preocupação de analisar a “cena” com a nossa máquina para ver que zoom devemos usar. Podemos usar a máquina fotográfica como se tivéssemos a fotografar, verificando assim qual o zoom que devemos usar para que a panorâmica fique como queremos. Isto porque o zoom que escolhermos tem que ser igual para todas as fotografias para que possamos ter uma “colagem perfeita”.

Nota – Não esquecer que o zoom tem que ser ser igual em todas as fotografias da panorâmica.

 

Porquê conhecer bem a nossa lente???… Esta parte é relacionada com os efeitos desnecessário que as lentes podem provocar, tornado assim mais difícil a “colagem” das fotos ou mais dispendiosas em termos de trabalho com software para pós produção. Como já falei sobre este problema numa mensagem anterior, aqui deixo o link.

Fotografia – Conhecendo a sua lente

Devemos ter o cuidado de não deixar as fotos “abauladas” ou com outros problemas que nos possam dificultar a “colagem” da panorâmica. Por isso devemos verificar qual o zoom mínimo que podemos usar até que esses efeitos sejam quase eliminados.

 

Escolhermos a fotografia “horizontal” ou “vertical”

Por vezes queremos que os “objetos” estejam o maior que possível o que conseguimos usando a máquina fotográfica na vertical por ter mais altura, mas por outro lado temos que tirar mais fotografias na vertical para tirar a mesma panorâmica do que na horizontal por causa da largura das fotografias. Isto tudo depende do que queremos fazer.

Quantas mais fotografias maior é a margem de erro.O que quer isto dizer?…

Ora se uma panorâmica são várias fotografias, se uma estiver mal tudo vai por água abaixo!

É também por isso que aconselho o uso de tripé ou de algo que estabilize a máquina fotográfica para fazer a panorâmica, apesar de vos poder dizer que nunca usei nenhum auxiliar em nenhuma das panorâmicas que fiz. Podem fazer panorâmicas sem auxiliares com bastante facilidade.

Têm que ter sempre em conta a memória da fotografia anterior pois é através desta que vão tirar a próxima. (não estou a falar que cada vez que tiram uma foto têm que ver como foi, estou a dizer que convém memorizarem onde ficou o fim da fotografia anterior).

Passando à prática….. Devem pegar na máquina fotográfica tal como usaram no ponto anterior para calcular o zoom mas desta vez para verificarem se querem tirar as fotos na horizontal ou na vertical bastando mover a máquina e verificarmos a “imagem” da panorâmica através da máquina na horizontal ou vertical.

Outro conselho, deixem sempre uma margem de altura para o caso de haver algum problema de uma fotografia ter sido tirada mais alta ou mais baixa, isto quando não se usa auxiliares como por exemplo o tripé. Se não usarem tripé convém ao tirarem as fotografias para a panorâmica rodarem antes o corpo para a imagem seguinte do que rodarem os braços, isto porque se rodarem o corpo e manterem os braços na mesma posição e altura, a imagem seguinte tem uma margem de erro muito menor. Um dos problemas mais tarde na colagem é que verificamos que uma foto está a mostrar a imagem mais em cima do que a seguinte o que por vezes estraga por completo a panorâmica. Lá está deixem sempre mais um pouco de imagem para prevenir estes erros. É que por vezes só temos uma chance para aquela fotografia que tanto queremos.

Sempre que tirarem a próxima fotografia vão sobrepor entre 30% a 50% da fotografia anterior, porque a colagem é mais fácil. Mais fácil porque podemos comparar esses 30% / 50% que são iguais nas duas fotografias para criar uma colagem mais exata e suave. (Ora estes 30% a 50% são calculados de cabeça, não são valores exatos. Para fazer menos confusão ou por outras palavras de 1/3 a 1/2 da imagem).

Ora, até já…

E boas fotos ….

Acompanhe e partilhe:

6 comentários

Novo Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *